30 C
Imperatriz
sexta-feira, dezembro 2, 2022
spot_img
InícioAssinanteEmpresário que agrediu e acusou jovem negro de furtar o próprio carro...

Empresário que agrediu e acusou jovem negro de furtar o próprio carro vai a juri popular 

A Justiça do Maranhão decidiu que o empresário que agrediu o jovem negro Gabriel da Silva Nascimento, em Açailândia (MA), seja levado a júri popular pelo crime de tentativa de homicídio triplamente qualificado. A dentista, que também agrediu o jovem, não vai a júri popular e vai responder por lesão corporal com agravante de motivo torpe (o racismo) e sem possibilidade de defesa da vítima. 

O caso aconteceu em dezembro de 2021, a vítima, que estava dentro do próprio carro, foi acusada por um casal de estar furtando o próprio veículo e espancada, sem chances de defesa, em frente ao condomínio onde morava. Gabriel afirma que foi vítima de racismo. A agressão foi registrada por câmeras de segurança e só parou quando um vizinho viu a situação e confirmou a história do jovem, que já havia dito ao casal que era proprietário do veículo. 

Relembre o caso 

O crime ocorreu no dia 18 de dezembro de 2021, em frente ao condomínio onde a vítima e a mulher, que participou do espancamento, moravam. Toda a agressão foi registrada por câmeras de segurança.

A vítima que estava dentro do próprio carro quando foi acusada de está furtando, foi espancada, sem chances de defesa e afirma ter sido vítima de racismo. “Fui agredido por um casal racista, onde descia para olhar meu carro, para vistoriar se estava tudo, “ok”, para ir à cidade de Governador Edson Lobão, onde fui surpreendido pelo casal”, afirmou Gabriel em entrevista.

Gabriel foi agredido com socos e chutes por cerca de três minutos. A agressão só parou quando o vizinho de Gabriel apareceu e confirmou que o carro era dele.

Depois de agredir o jovem, um dos envolvidos espalhou áudios nas redes sociais, sorrindo e brincando das agressões contra o jovem. Gabriel registrou um boletim de ocorrência e por medo, se mudou do condomínio onde morava, já que um dos agressores também residia no local.

O caso do jovem ganhou destaque nacional, como na Revista Veja e Fantástico. 

Na época, o Ministério Público do Maranhão denunciou casal por tentativa de homicídio triplamente qualificado. Depois da conclusão do inquérito da Polícia Civil que indiciou o casal por tentativa de homicídio, o MP-MA se manifestou e determinou que o indiciamento do casal seja por tentativa de homicídio triplamente qualificado.

A Denúncia do MP foi proposta pela titular da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Açailândia, com base nas investigações da Polícia Civil. A pena para o crime cometido pelo casal é de 12 a 30 anos de prisão, de acordo com o Código Penal.

Nathalie da Costa
Nathalie da Costa
Repórter, pesquisadora e graduanda do 8º período de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, na Universidade Federal da Maranhão (UFMA).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Populares

- Publicidade -

Ultimos Comentários

× WhatsApp